Fale
conosco

Nossa localização

Porto Alegre

Rua Bernardo Pires, 128, 5º andar Bairro Santana / Porto Alegre / RS

Veja no mapa (51) 3230 7700

Contatos de
nossas empresas

SLC AGRÍCOLA SLC MÁQUINAS

ENVIE SEU PROJETO

O Grupo SLC, consciente de sua Responsabilidade Social, apoia, por meio do Instituto SLC, projetos de instituições sem fins lucrativos, utilizando recursos oriundos de incentivos fiscais, tais como:
  • Fundos de Apoio à Criança e ao Adolescente
  • Lei de Incentivo à Cultura
  • Fundo do Idoso• Lei de Incentivo ao Esporte
  • Pronon – Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica
  • Pronas – Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência
Para analisarmos a solicitação, preencha o formulário a seguir com as informações do projeto.
Sobre a Instituição
Sobre o Projeto

O tamanho máximo permitido é de 5MB

Formatos permitidos: .pdf, .doc, .docx, .ppt e .pptx

Tipo de incentivo

CEO da SLC Agrícola participa de debate sobre o mercado de carbono

CEO da SLC Agrícola participa de debate sobre o mercado de carbono

Nesta quinta-feira (07/10), o CEO da SLC Agrícola, Aurélio Pavinato participou da LIVE realizada pelo programa Planeta Campo, do Canal Rural. “Desafios e oportunidades do mercado de carbono”, foi o tema do bate-papo que contou também com José Angelo Mazzillo, secretário adjunto de política agrícola do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Caroline Perestrelo, superintendente executiva de corporate agro do Santander.

O encontro, mediado pelo jornalista Pablo Valler, foi transmitido pelas redes sociais do Canal Rural e está disponível no canal do YouTube. Na ocasião, Pavinato destacou que o produtor rural brasileiro, até então de uma forma geral, não tinha o foco na questão de crédito de carbono. “Hoje ele percebe que pode ampliar a sua produção e ainda trabalhar a questão do crédito de carbono. Produzir mais e melhor, com mais rentabilidade”.

Pavinato ainda apontou que o agro brasileiro tem um papel importante, já que o país desenvolve um sistema produtivo que consegue atender a demanda da sociedade por alimentos. “Não podemos falar sobre crédito de carbono sem abordar a produção de alimentos mundial. Existe escassez de alimentos em alguns países, o Brasil é um exportador e terá um papel cada vez mais importante nos próximos anos para atender a demanda global”, disse.

“O Mapa trabalha com muito afinco e otimismo. Respondo pelas finanças sustentáveis do agro e encaramos a questão como uma agenda iminente, irreversível e desejável. Podemos intensificar o uso de terra de uma forma que nenhum outro país pode fazer, podendo ter de duas a três safras. Isso significa dizer que, para produzimos a mesma quantidade de alimentos, precisamos de menos área convertida. Por si só isso já é muito sustentável, especialmente diante do desafio mundial de se conseguir segurança alimentar, de acordo com o crescimento populacional e as carências e déficits já verificados”, comentou José Angelo Mazzillo, secretário adjunto de política agrícola do Mapa.

Para Carolina Perestrelo, superintendente executiva de corporate agro do Santander, o setor debate muito os créditos de carbono e emissão de gases de efeito estufa com foco em seus impactos no clima. “Mas temos muitas frentes para trabalhar, para o nosso agro atuar e assumir seu protagonismo. Também não dá para falar de mercado de crédito de carbono no Brasil sem falar de nosso agro”.